Mulheres e tecnologia: conheça 4 que revolucionaram o mercado tecnológico
7 de Fevereiro de 2018
Por que é importante dar educação pelo exemplo?
Educação das crianças: entenda como educar pelo exemplo é a melhor maneira
15 de Fevereiro de 2018

Combate ao bullying: como prevenir que meu filho seja o agressor?

Um problema que vem se tornando cada vez mais comum é o bullying. Essa prática violenta causa angústia e sofrimento na vítima, além de ser um catalisador para problemas de autoestima e quadros de depressão. Nesse contexto, a responsabilidade não deve ser apenas dos educadores: os pais também precisam ficar atentos aos seus filhos, sendo fundamentais no combate ao bullying e na promoção do respeito ao próximo.

Neste artigo, vamos explicar o que caracteriza esse tipo de violência e como os pais podem prevenir que seus filhos tornem-se até mesmo os agressores.

O que é o bullying?

De zombarias a ataques físicos, o bullying é um comportamento agressivo realizado repetitivamente por um indivíduo com o objetivo de exercer uma intimidação ou mostrar poder sobre outra pessoa. Essa violência, que pode ser tanto física quanto psicológica, gera dor e tristeza na vítima. 

Com a internet, há também a violência virtual, chamada cyberbullying. Nessa categoria, os ataques pessoais conseguem ser amplificados pelo mundo online e, como consequência, as humilhações podem chegar a arruinar a honra e a imagem da vítima.

Como identificar uma criança agressora?

Não raro, as pessoas responsáveis por cometer bullying escondem seus medos e, por não saberem lidar com suas emoções, tentam descontar as frustrações no outro.

As humilhações praticadas podem ser ainda uma maneira de tentar se popularizar no grupo ou de mostrar uma imagem superior de si, assim como uma defesa, por já terem sido vítimas de bullying ou por sofrerem alguma situação que lhes traga infelicidade. Dessa forma, tal qual as vítimas, as crianças agressoras também precisam de atenção.

Entre os sintomas que podem ajudar a identificar uma criança que comporta-se como agressora estão:

  • dificuldade de expressar emoções;
  • baixa autoestima;
  • falta de empatia;
  • satisfação com o sofrimento alheio;
  • atitudes violentas.

Caso perceba que a criança ou adolescente faz bullying, estabeleça uma conversa para tentar entender suas motivações, permita que ela manifeste seus sentimentos e, depois, explique porque aquelas atitudes são erradas.

Evite rejeitar a criança, mas não deixe de mostrar que o seu comportamento é inadequado e prejudicial. 

Como ajudar no combate ao bullying?

Para prevenir que uma criança se transforme no agressor, é preciso estimular o respeito e a empatia pelos demais. Deve-se também conversar sobre o bullying e mostrar que esses atos violentos não são toleráveis. Confira algumas dicas para colaborar na redução do bullying:

Converse sobre o assunto

Por vezes confundido com uma “brincadeira”, o bullying não é sempre reconhecido tão facilmente. Daí vem a importância de explicar os males desses atos de violência.

Dialogue com seu filho sobre o tema para que, caso ele passe por alguma situação desse tipo, tenha ferramentas para identificar a agressão e saber o que fazer.

Incentive a expressão de emoções

Para evitar comportamentos tempestuosos e impulsivos, a criança precisa desenvolver habilidades emocionais. Assim, crie um espaço em que os pequenos possam expressar seus sentimentos e encontrem formas não-violentas de lidar com as frustrações.

O amor, o diálogo e a aceitação podem ser boas ferramentas para evitar que a criança se torne uma agressora.

Alimente o respeito ao próximo

Despertar a empatia também é uma maneira eficiente de prevenir situações de bullying. Então, mostre a importância de se colocar no lugar do outro. Encoraje a aceitação das particularidades de cada um. Dê exemplos de respeito e apreço pelas pessoas.

Monitore as atividades do seu filho na internet

Apesar da tecnologia oferecer recursos que auxiliam no desenvolvimento dos pequenos desde cedo, as crianças no computador também podem trazer riscos, como o cyberbullying. Dessa maneira, a orientação dos pais quanto ao uso da internet é primordial.

Converse com seu filho e explique que, no mundo virtual, as colocações que ele fizer podem ser rastreadas. Monitore também os conteúdos acessados. Além disso, caso a criança tenha perfil nas redes sociais, dialogue sobre as regras desse ambiente e a estimule a manter sempre a educação.

Ninguém espera que seu filho vá agir como agressor, mas isso pode acontecer com qualquer família. Em razão disso, os pais precisam estar atentos para situações que indiquem práticas violentas e devem exercer um papel ativo no combate ao bullying.

Quer saber como evitar o cyberbullying? Então, confira este post sobre como impor limites e controlar o uso da internet pelas crianças!

Comentários

comentários